•  

COMO REPOR ELETRÓLITOS

image

POR QUE PRECISAMOS DE ELETRÓLITOS?

FUNÇÃO DOS ELETRÓLITOS - O QUE É UM ELETRÓLITO?

Os eletrólitos são substâncias químicas que formam íons nos fluidos corporais e ajudam a garantir que funções corporais específicas atinjam níveis ideais. A falta de eletrólitos pode causar cãibras musculares. Como os atletas sabem, as cãibras podem fazer uma grande diferença no dia de uma competição. Então, como evitamos o aparecimento de cãibras musculares e fazemos com que o nosso corpo atinja os níveis máximos de desempenho? Bem, fornecendo a quantidade necessária de eletrólitos.

A nutrição adequada durante a prática de exercícios não envolve apenas a reposição de calorias e líquidos, mas também requer o fornecimento de eletrólitos de forma adequada e consistente. As necessidades de eletrólitos variam muito mais do que as necessidades calóricas ou de hidratação, portanto terá que experimentar muitas vezes durante os treinos até conseguir adequar sua nutrição às suas necessidades específicas em diferentes situações.

Os eletrólitos se parecem muito com o óleo do motor do seu carro - eles não fazem o motor funcionar, mas são absolutamente necessários para que tudo funcione perfeitamente. Na verdade, o bom funcionamento dos sistemas digestivo, nervoso, cardíaco e muscular depende de níveis adequados de eletrólitos.

Embora existam muitas teorias que explicam por que as cãibras musculares aparecem, geralmente é devido à hidratação incorreta e / ou uma reposição incorreta de eletrólitos no sangue. Ninguém quer ter cãibras, é claro, mas lembre-se de que cãibras são uma das consequências finais do esgotamento de eletrólitos. Seu corpo se comunica consigo de  forma dolorosa dizendo: “Ei! Estou vazio! Dê-me mais agora ou terei que parar! ” É como quando uma pequena luz no painel se acende e percebemos que estamos no limite.

É por isso que não deve esperar pelas cãibras musculares para se lembrar de ingerir eletrólitos. Assim como não espera para desmaiar para se lembrar de comer ou desidratar para repor líquidos, não deve esquecer que sua dieta deve sempre incluir esses compostos essenciais.

Neste artigo, vamos falar sobre esse aspecto da nutrição, um tema fundamental, mas negligenciado e mal compreendido. Nós vamos lhe contar por que os comprimidos de sal não funcionam e por que a linha de produtos Endurolytes da Hammer é a melhor fórmula de eletrólitos disponível no mercado.

O QUE SÃO ELETRÓLITOS? POR QUE OS ELETRÓLITOS SÃO IMPORTANTES?

Eletrólitos são produtos químicos que formam partículas eletricamente carregadas (íons) nos fluidos corporais. Esses íons conduzem a energia elétrica necessária para muitas funções, incluindo contrações musculares e a transmissão de impulsos nervosos. Muitas funções corporais dependem de eletrólitos. O desempenho ideal requer um fornecimento adequado e consistente desses nutrientes tão importantes.

Muitos atletas negligenciam a reposição constante de eletrólitos no corpo por nunca sofrerem de problemas derivados de cãibras musculares. No entanto, mesmo que tenha a sorte de não sofrer os efeitos dolorosos e debilitantes das cãibras, vai precisar fornecer ao corpo uma quantidade consistente e adequada de eletrólitos. Porque? Porque o objetivo de reabastecer eletrólitos no corpo não é apenas prevenir cãibras musculares, mas manter funções corporais específicas em níveis ideais. Com cólicas, seu corpo está dizendo que está vazio quando se trata de eletrólitos. Se chegares a esse ponto, significa que seu desempenho está seriamente comprometido há algum tempo. Portanto, lembre-se de que sua preocupação é que seu corpo funcione bem, sem interrupções ou concessões. Assim como você não deve esperar para ficar desidratado ou desmaiar durante uma corrida antes de repor líquidos ou calorias, também não deve esperar por cãibras na panturrilha antes de repor os eletrólitos. A reposição constante de eletrólitos no corpo durante os exercícios é tão importante quanto comer os alimentos certos e beber quantidades adequadas de água.

O SAL É UM ELETRÓLITO? - NÃO POSSO USAR APENAS PASTILHAS DE SAL?

Comprimidos de sal não são a melhor escolha para reposição de eletrólitos por dois motivos:

1. Fornecem apenas dois dos eletrólitos de que seu corpo necessita - sódio e cloreto.

2. Fornecem excesso de sódio, sobrecarregando o complexo mecanismo que o corpo usa para regular o sódio.

Cada um desses problemas é importante e vamos discutir ambos. Agora, vamos nos concentrar principalmente no segundo.

Muitos atletas sofrem desnecessariamente com as mãos e os pés inchados devido à retenção de líquidos devido à ingestão de comprimidos de sal ou produtos eletrolíticos com alto teor de sódio durante exercícios prolongados sob o sol. O nosso corpo tem mecanismos muito eficazes para regular e re-circular o sódio dos estoques corporais. O consumo excessivo de sódio interfere ou neutraliza esses mecanismos complexos. O suor gera grandes perdas de sódio, que são monitoradas de perto por meio de receptores hormonais em todo o corpo. No entanto, a reposição rápida de sódio neutraliza o sistema, permitindo que a ingestão de água dilua o conteúdo de sódio. A suplementação de eletrólitos com alto teor de sódio compromete o controle fisiológico natural dos eletrólitos séricos. Assim que o corpo detecta um aumento no sódio de fontes exógenas (alimentos, comprimidos de sal ou produtos muito ricos em sódio), o hormônio aldosterona sinaliza aos rins para parar de filtrar e recircular o sódio. Em vez disso, os rins excretam sódio e outro hormônio, a vasopressina, que predomina e causa retenção de líquidos. Embora a ingestão de grandes quantidades de sódio possa resolver temporariamente uma deficiência de sódio, isso aumenta substancialmente o risco de uma série de outros problemas, incluindo aumento do armazenamento de líquidos na forma de inchaço (edema) nas extremidades. As consequências também incluem elevação da pressão arterial e aumento da taxa de excreção de sódio. Tudo isso inibe o desempenho. Se você já terminou um treino ou competição com as mãos, pulsos, pés ou tornozelos inchados, ou sentiu inchaço sob os olhos e ao redor das bochechas, é provável que a ingestão de sódio / sal esteja muito alta.

A verdade é que o corpo humano precisa apenas de uma pequena quantidade de sódio para funcionar normalmente. Precisamos de apenas 500 mg de sódio por dia, atletas talvez 2.000 mg. Isso é facilmente fornecido por alimentos naturais não processados. No entanto, o americano médio consome aproximadamente 6.000-8.000 mg por dia, bem acima do limite superior da dose recomendada de 2.300 - 2.400 mg / dia. * (Veja asterisco na página 44). Um atleta médio armazena pelo menos 8.000 mg de sódio na dieta nos tecidos e tem esses estoques disponíveis durante o exercício. Em outras palavras, já tem um vasto reservatório de sódio disponível em seu corpo a partir de sua dieta, pronto para atendê-lo durante o exercício. Além disso, seu corpo tem uma forma altamente complexa e eficiente de monitorar e re-circular o sódio de volta para o sangue, o que faz para manter a homeostase. Deves repor o sódio durante o exercício, mas deve fazê-lo com quantidades que cooperem e não anulem esses complexos mecanismos corporais.

* Em 2009, dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA forneceram evidências científicas adicionais de que a maioria dos americanos com mais de 20 anos deve limitar a quantidade de sódio (sal) que consomem diariamente a 1.500 miligramas (mg) para prevenir e reduzir pressão alta.

EXCESSO DE ELETRÓLITOS - AS CONSEQUÊNCIAS DO ALTO CONSUMO DE  SÓDIO PARA A SAÚDE

As dietas com alto teor de sódio não são apenas prejudiciais à saúde, mas aqueles que consomem grandes quantidades de sódio têm garantia de maiores taxas de perda de sódio sendo necessário maior ingestão de sódio durante o exercício. O sódio, como provavelmente deve saber, leva à sede, e a sede leva ao excesso de ingestão de líquidos, resultando em um cenário que que certamente não contribui para melhorar o desempenho.

COMO REPOR OS ELETRÓLITOS - NÃO PRECISO REPOR O QUE PERDI?

É fácil formular comprimidos eletrolíticos ou produtos que correspondam a um dos muitos estudos de análise da transpiração e depois vendê-los com base no fato de que os atletas simplesmente precisam repor o que perderam. Alguns produtos fazem exatamente isso. Infelizmente, isso é um problema pois as diferenças individuais de perda de suor variam muito, e o corpo humano não substitui e não pode repor com eficiência o que gasta durante o exercício em qualquer intensidade acima de um ritmo de caminhada. Eletrólitos perdidos não são substituídos por eletrólitos consumidos de comprimidos e produtos eletrolíticos.

Na melhor das hipóteses, o nosso corpo é capaz de repor apenas cerca de um terço do que perde. E isso é verdade tanto para fluidos, quanto calorias e eletrólitos. Se tentar repor todos os líquidos de uma vez, pode acabar com hiponatremia dilucional (níveis excessivamente diluídos de sódio no sangue) ou intoxicação por água. Se tentar substituir toda a comida que gasta, seu estômago vai se rebelar, e o reabastecimento vai parar. Da mesma forma, se tentar repor em quantidades iguais todos os eletrólitos perdidos, vários gatilhos hormonais podem criar todos os tipos de problemas, como desconforto gástrico, edema, espasmos musculares e cãibras musculares.

Conforme enfatizado no artigo
MENOS É MELHOR * A Melhor Forma de Abastecer * no início deste livro, a chave para um abastecimento bem-sucedido (líquidos, calorias e eletrólitos) é NÃO se concentrar no que perdeu, mas sim em quanto seu o corpo pode efetivamente aceitar e absorver. Bill Misner, Ph.D., diz: "Dê ao seu corpo 30-40%, mesmo que ele grite em voz alta por 110%. Quando se trata da quantidade de líquidos que você bebe, calorias que você ingere e eletrólitos que você reabastece, isso é um princípio absolutamente vital a ser lembrado. Quanto mais você aderir a ele, maiores serão suas oportunidades de sucesso.

CONSUMIR SÓDIO ANTES DE UMA COMPETIÇÃO? É UMA PÉSSIMA IDÉIA!

Cortesia de um artigo escrito por um nutricionista registrado, uma prática para o controle de eletrólitos agora sendo considerada, e até mesmo adotada por muitos atletas, é aumentar o sódio na dieta através da pré-carga de três a quatro gramas de sódio cerca de 12 a 24 horas antes da corrida.

Uma ideia que um nutricionista credenciado publicou em um de seus artigos, e uma prática que agora está sendo amplamente considerada, e até mesmo adoptada por muitos atletas, é aumentar o sódio na dieta consumindo três a quatro gramas de sódio entre 12 e 24 horas antes da corrida.Supõe-se que um nutricionista registrado seja um especialista com conhecimento das consequências potenciais para a saúde de uma dieta rica em sódio (a dieta consumida pela grande maioria dos americanos), mas esse nutricionista defende a adição de mais sódio à dieta antes de uma corrida. Em vez disso, defendemos a limitação do sódio, conselho agora recomendado por médicos, já que a pesquisa mostra que o consumo crônico de mais de 2.300 miligramas por dia pode contribuir para a insuficiência cardíaca congestiva (ICC), hipertensão e rigidez. Músculos, edema, irritabilidade, osteoartrite, osteoporose , síndrome pré-menstrual (TPM), distúrbios hepáticos, úlceras e cataratas.

Várias referências são fornecidas no artigo, aparentemente para solidificar essas recomendações:

1) Eichner, E.R. "Genetic and Other Determinants of Sweat Sodium." Relatórios atuais de medicina esportiva 7.4 Supp 1 (2008): 236-S40.

Comentário: Nossa interpretação das afirmações / conclusões de Eichner é que quanto mais sódio na dieta pré-evento, mais o nível de aldosterona plasmática é suprimido, resultando em uma taxa maior de perda de sódio no suor durante o evento. Nossa posição é que a supressão da aldosterona antes dos eventos pelo aumento da ingestão de sódio é contraproducente para manter os controles homeostáticos naturais do corpo na faixa normal saudável, o que significa consumir uma dieta com baixo teor de sódio abaixo de 2.300 mg por dia.

Conclusão: mais sódio na dieta é igual a mais sódio perdido durante o exercício.

2) Misner, William. Ph.D. Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento de Produto, "Reflexões sobre a redução do desequilíbrio do sódio: o que ele causa e como consertá-lo." 43-46

Comentário: Nossa posição é que mais de 2.300 mg / dia resultam em consequências prejudiciais à saúde proporcionais à sensibilidade individual predisposta, enquanto a grande maioria da população humana reage negativamente a> 5.800 mg / dia.

Conclusão: manter os níveis de ingestão de sódio entre 1.500-2.300 mg / dia sustentará as necessidades de sódio sem sobrecarregar a via da aldosterona ou o papel do órgão renal na homeostase.

3) Murray, R. e L. Kenney, "Sodium Balance and Exercise". Relatórios atuais de medicina esportiva 7.4 Supp. 1 (2008): S1-S2.

4) Stachenfeld, N.S. Efeitos agudos da ingestão de sódio na sede e na função cardiovascular. Relatórios atuais de medicina esportiva 7.4 Supp. 1 (2008): S7-S13.

Conclusão: Alimentos salgados e / ou tabletes de sal não são suficientes quando se trata de reposição eletrolítica. Em vez disso, adote uma abordagem de baixo teor de sódio que enfatize um equilíbrio de minerais essenciais que melhoram cooperativamente os hormônios naturais do corpo e as ações enzimáticas. Vai desejar um produto que forneça suporte eletrolítico abrangente sem comprometer a regulação eletrolítica interna.

Comentário: O corpo humano foi construído para ser sensível no monitoramento do equilíbrio eletrolítico homeostático. Isso sugere que uma ingestão consistente de pequenas quantidades de fluidos e eletrólitos ajuda a prevenir déficits graves de fluidos e perda de eletrólitos.

ELETRÓLITOS NO CORPO - COMO O CORPO CONTROLA O SÓDIO SÉRICO

A aldosterona é um hormônio que controla a taxa de sódio que circula no corpo humano. Quando os níveis de sódio caem muito devido à perda no suor ou na urina, a aldosterona é liberada, estimulando as células dos túbulos renais a aumentar a reabsorção de sódio de volta ao sangue. Em termos básicos, o corpo tem uma forma muito complexa e eficaz de monitorar, recircular e, assim, conservar seus estoques de sódio.

 A alta ingestão de sódio suprime a aldosterona sérica, enquanto a baixa ingestão de sódio eleva a aldosterona sérica. Em outras palavras, muito sódio suprime e neutraliza os efeitos benéficos da recirculação de sódio da aldosterona, fazendo com que mais sódio seja perdido. Por outro lado, uma dieta com baixo teor de sódio e uma ingestão mais conservadora de sódio, em conjunto com outros eletrólitos depletores durante um treino ou competição, cria um ambiente onde quantidades menores de sódio são perdidas no suor e na urina.

É também por isso que os números da taxa de suor podem enganar. Vai encontrar muitos treinadores ou pesquisadores afirmando algo no sentido de: "Já vi atletas perderem até vários gramas de sódio durante uma sessão de treinamento de uma hora". Isso pode muito bem ser verdade para alguns atletas durante uma sessão de exercício de curta duração, especialmente se for em um ambiente controlado (como andar de bicicleta ergométrica em uma sala quente sem circulação de ar). No entanto, isso não significa que essas perdas sejam sustentáveis ​​hora após hora. Mais uma vez, os mensageiros químicos e hormônios internos do corpo (principalmente a aldosterona) ajudam a evitar que essas perdas continuem no mesmo caminho. Sim, o corpo precisa de reposição de sódio, mas deve ser uma quantidade que funcione em cooperação com os efeitos de recirculação / conservação do sódio da aldosterona. Uma dieta rica em sódio e / ou ingestão muito alta de sódio durante um treino ou corrida nega efetivamente os efeitos desejados da aldosterona, o que significa maiores perdas de sódio.

Conclusão: Em vez de adotar a recomendação de que mais sódio seja adicionado às quantidades já altas e não saudáveis ​​da dieta, os atletas devem se concentrar mais em reduzir sua ingestão diária de sódio. Não há dúvida de que todos e cada um de nós consomem muito mais sódio do que precisamos diariamente, e os efeitos prejudiciais de fornecer ao corpo o excesso de sódio em excesso às necessidades diárias comprometem a saúde ideal. Se você diminuir a ingestão de sódio em sua dieta e mantê-la em um nível de 2.300 mg ou menos, não só será um protocolo / recomendação muito melhor do ponto de vista da saúde, mas também beneficiará o desempenho atlético. Resumindo, não coma muito sódio nos dias que antecedem uma corrida.

ENTÃO, QUAL É A RESPOSTA? COMO SE DEVE REPOR OS ELETRÓLITOS?

A reposição adequada de eletrólitos durante os exercícios de resistência requer uma abordagem gradual e consistente que incorpore todos os eletrólitos em quantidades que não anulem os mecanismos normais do corpo. Lembre-se de que a ingestão de eletrólitos precisa estar abaixo da detecção sistêmica, mas que ajude a aliviar a depressão sistêmica. Isso significa que você precisa consumir o suficiente para suportar as funções corporais e evitar problemas relacionados ao calor, como cãibras musculares, sem sobrecarregar seu corpo. A entrada de eletrólitos deve passar por baixo do sistema de detecção de radar do corpo, ao mesmo tempo em que fornece suporte ideal.

***Endurolytes, Endurolytes Fizz, e Endurolytes Extreme são produtos eletrolíticos de espectro completo projetados para atender aos requisitos de eletrólitos do corpo. Eles foram projetados para neutralizar os efeitos da hipertermia, otimizar funções corporais específicas e melhorar o desempenho de resistência, especialmente além do limite de duas horas. O perfil eletrolítico da fórmula Endurolytes equilibra cátions (íons carregados positivamente) e ânions (íons carregados negativamente) de forma responsável, sem dar mais importância a alguns eletrólitos do que outros. Esta é um ponto chave a ser lembrado: quando um equilíbrio de eletrólitos de cátions para ânions é gerenciado na célula produtora de energia, assumindo que a célula tenha combustível e fluido adequados, tal célula produzirá energia a uma taxa mais alta do que uma sobredosada por um único cátion misturado com uma lista irracional de ânions. Essa é uma boa razão para evitar usar apenas sal ou usar qualquer produto, seja um combustível ou suplemento, que contenha altos níveis de sódio. Eles geralmente incluem as consequências de quantidades muito baixas de outros minerais eletrolíticos. Além disso, não formulamos Endurolytes, Endurolytes Fizz e  Endurolytes Powder para repor as quantidades de perda de eletrólitos no suor porque cada pessoa tem uma predisposição biológica única em termos de minerais perdidos pelo suor. Além disso, as diferenças no tamanho e forma física de um atleta, bem como no ritmo do exercício e, claro, umidade e calor, podem significar uma diferença de até 1000% quando a taxa de suor de um atleta é comparada à de outro. Uma fórmula de tamanho único com base apenas nas taxas de suor não pode, e não irá, atender adequadamente às suas necessidades específicas de eletrólitos.

No mais puro sentido, a fórmula de Endurolytes não é tanto uma bebida eletrolítica ou um produto substituto, mas é melhor descrita como uma fórmula de suporte ao estresse eletrolítico. Ajuda o corpo a ter um melhor desempenho sob as demandas do exercício, especialmente no calor, onde a sudorese excessiva se torna um problema, fornecendo um complemento de minerais em equilíbrio adequado, sem interferir nos sistemas normais de controle do corpo.

A FÓRMULA DE ENDUROLYTES

Endurolytes contêm minerais quelados. Quelação é o processo de ligação de um mineral a outra substância, idealmente um aminoácido. Isso torna o mineral mais biodisponível. Minerais quelados são a forma mais frequentemente recomendada pois fornecem maior absorção do que seus equivalentes não quelados. Por exemplo, o magnésio é 87% absorvido quando quelado, mas apenas 16% quando tomado em uma forma inorgânica não quelada. Um cientista nutricional escreveu: "As estimativas de absorção normal de minerais são em média 10%. No entanto, a absorção de minerais quelados pode chegar a 60%". Vamos examinar cada mineral na fórmula de Endurolytes:

CÁLCIO

é o mineral mais abundante no corpo humano. Ritmo cardíaco normal, transmissão nervosa saudável e fortes contrações musculares requerem um nível constante de cálcio no sangue. Durante o exercício, as enzimas dependentes de cálcio produzem energia a partir da conversão de ácidos graxos e aminoácidos, fornecendo 60-65% de suas necessidades de energia quando o exercício vai além de duas horas de duração. Como os ácidos graxos são um combustível importante durante os exercícios de resistência, é crucial ter  cálcio disponível para convertê-los em energia de maneira eficiente. Quando o cálcio no sangue fica baixo, o corpo o extrai dos ossos, mas esse processo não consegue acompanhar a taxa de esgotamento dos exercícios. A deficiência de cálcio sérico durante eventos de resistência pode causar pressão alta, cãibras musculares e fraqueza.

MAGNÉSIO

deve acompanhar o cálcio na proporção de 1: 2. Quando o cálcio flui para as células musculares em funcionamento, o músculo se contrai. Quando o cálcio sai e
magnésio o substitui, o músculo relaxa. Muitas reações enzimáticas necessárias para a conversão de combustível em energia muscular ocorrem na presença de magnésio. A deficiência de magnésio contribui para cãibras musculares, tremores, distúrbios do sono e, em alguns casos, distúrbios convulsivos.

POTÁSSIO

é o cátion principal (íon com carga positiva) dentro de todas as células musculares. O
 potássio é necessário para manter a concentração ideal e o equilíbrio do sódio. Os sintomas de deficiência de potássio são náuseas, vômitos, fraqueza muscular, espasmos musculares, cãibras e aumento da frequência cardíaca. Mesmo que 100-200 mg sejam perdidos apenas no suor (sem contar o uso interno de músculos e células), se tentarmos repor nossos níveis de potássio de uma só vez, o equilíbrio ideal de sódio será alterado. Além disso, muito potássio é prejudicial ao estômago e pode causar graves problemas estomacais.

SÓDIO

é o principal cátion (íon com carga positiva) fora da célula. Os europeus, em média, carregam 8.000 mg de sódio em excesso nos tecidos extracelulares. Durante os eventos de resistência, um mínimo de três a quatro horas é necessário para esgotar este mineral, o que pode resultar em sintomas de batimento cardíaco anormal, espasmos musculares e hipoventilação. No entanto, se 
sódio o sódio for reposto na mesma taxa ou quase na mesma taxa de depleção, ele substitui os mecanismos de regulação hormonal que permitem ao corpo conservar eletrólitos. O consumo de muito sódio causará uma variedade de problemas, sendo o menor deles a retenção de líquidos. Portanto, recomendamos uma reposição mais moderada e cooperativa de sódio.

CLORETO

É o ânion relativo (íon carregado negativamente) que acompanha o sódio. Esse eletrólito é absolutamente necessário para manter a tensão osmótica no sangue e nos fluidos extracelulares. É um processo um tanto complicado, mas, para colocá-lo em termos mais simples, pense na tensão osmótica como sendo o equilíbrio e a consistência adequados de fluidos corporais e eletrólitos. Uma quantidade apropriada de
cloreto  (como cloreto de sódio) apóia, mas não anula, a função do hormônio aldosterona em regular e conservar os níveis adequados de eletrólitos.

MANGANÊS

É um dos minerais incluídos na fórmula dos Endurolytes, pois é necessário em quantidades mínimas para as reações enzimáticas das células musculares ideais para a conversão de ácidos graxos e proteínas em energia. Novamente, os ácidos graxos e as proteínas são uma parte muito importante da nutrição para melhorar a resistência dos atletas. Embora o
manganês não seja tecnicamente um eletrólito, sua importância não pode ser exagerada. Estudos também mostram que a falta de manganês desempenha um papel fundamental na flutuação do açúcar no sangue, acúmulo de radicais livres como resultado de exercícios extenuantes e distúrbios da função nervosa, especialmente em atletas mais velhos.

PIRIDOXINA HCL (vitamina B-6)

é uma coenzima necessária em 60 reações enzimáticas envolvendo o metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas. Incluímos
vitamina B6 em água apenas no Endurolytes FIZZ devido ao seu papel ativo na manutenção do equilíbrio sódio-potássio.

RESUMO

A reposição consistente de líquidos e calorias é essencial para manter os níveis de energia durante os treinos e corridas. Fornecer reposição constante de eletrólitos é um componente igualmente importante do abastecimento adequado.

Fazer com que suas necessidades de líquidos e calorias sejam atendidas e definidas é bastante fácil de realizar, mas atender às suas necessidades de eletrólitos requer mais atenção, pois tens muito mais variabilidade a considerar. Usar Endurolytes, Endurolytes Fizz, ou Endurolytes Extreme em seus treinos vai resolver esse desafio, já que contêm os minerais certos no equilíbrio adequado. Além disso, por serem independentes de suas fontes calóricas e de hidratação, eles fornecem a flexibilidade de dosagem necessária. Independentemente do seu tamanho, esporte, intensidade de treinamento, nível de condicionamento físico ou clima, poderá atender às suas necessidades de minerais eletrolíticos com precisão hora após hora com Endurolytes, Endurolytes Fizz ou Endurolytes Extreme.

No site da Hammer Nutrition vai encontrar vários artigos detalhados sobre a reposição de sódio e eletrólitos. Recomendamos especialmente:

Princípios Básicos de Endurolytes

(www.hammernutrition.com//knowledge/advanced-knowledge/the-endurolytes-rationale/)

Uma dieta rica em sódio pode inibir o desempenho de eventos de saúde e resistência?

(www.hammernutrition.com/knowledge/endurance-library/high-sodium-diet-inhibit-endurance-performance-health/)